Introdução Alimentar a partir de 6 meses

A introdução alimentar é uma fase tão linda e ter a oportunidade de fazer parte dessa brincadeira é maravilhoso e também desafiador.

1Introdução Alimentar, fase de criar bom vínculo com os alimentos.

Até 1 ano o leite é a principal fonte de energia, mas isso não quer dizer que tudo bem substituir refeição por leite…(às vezes acontece, mas o ideal é sempre apresentar os alimentos).

2- Comer é diferente de engolir

Quero dizer que, comer não é só engolir, e para isso devemos apresentar os alimentos, evoluir textura, para o bebê ir se familiarizando com a comida.

Como funciona: apresentamos o alimento e o bebê decide comer. Com o passar do tempo a aceitação pelos alimentos vai acontecendo.

3- Respeitando os degraus da Introdução Alimentar

  1. olhar
  2. pegar/sentir com as mãos
  3. cheirar, amassar…
  4. levar à boca

A introdução alimentar é formada por degraus, aceitar a presença do alimento é um degrau, tocar no alimento é outro e levar à boca é outro.

Não se assuste se o seu bebê quer brincar com a comida, isso faz parte dos degraus da introdução alimentar.

4- Direito de comer bem!

Comer bem é diferente de comer muito. Comer bem é dar oportunidade do bebê conhecer alimentos (saudáveis) separadamente/sem misturar, textura, tamanhos, temperatura e cores diferentes.

Pode parecer muito difícil e que seu bebê nunca irá comer…. paciência, aos poucos o bebê vai aceitar.

Seu bebê começou a comer faz menos de 1 ano, está iniciando a IA, muita calma, foque na qualidade, não na quantidade.

O que fazer quando há recusa?

O bebê na introdução alimentar está sujeito a gostar mais de certos alimentos de acordo com o paladar que a mãe tinha na gestação.

Desse modo, é extremamente importante que a gestante coma uma variedade de alimentos saudáveis inclusive aqueles que não gosta, pois será benéfico ao bebê e influenciará no paladar que está em formação.

O bebê está acostumado com o sabor do leite, e introduzir novos alimentos (sólidos, nunca liquidificados) é uma novidade de sabores e texturas.

Devemos evitar rotular “gosta” “não gosta” e levar mais para o lado “está conhecendo” porque é isso.

O novo assusta, se nós ao experimentarmos um alimento novo normalmente gera um anseio, imagina para o bebê que estava acostumado apenas com o leite?

Quando ocorre essa percepção de “não come” “trava a boca”, sempre sugiro que deixe o bebê encostar no alimento.

Comer junto é um ótimo incentivo (do bem) para que o bebê tenha interesse em comer. Fazer aviãozinho, só mais um colherzinha, fiz com tanto carinho e você nem quer tocar, brincadeiras e parabéns não são boas opções pois desconecta com o real sentido de comer, e ficará cada vez mais difícil pois o bebê precisará desse fator externo para se alimentar, perdendo o mecanismo de fome e saciedade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s