Como os primeiros mil dias determinam seu metabolismo para o resto da sua vida

Os primeiros mil dias é constituído pelo período entre a gestação e os dois primeiros anos de vida. Essa fase da vida é a mais importante em termos de crescimento e desenvolvimento. É o período onde podemos interferir e fazer a diferença.

Esse período determina como funcionará seu metabolismo para o resto da vida, é o que chamamos de PROGRAMAÇÃO METABÓLICA.

Programação Metabólica

A programação metabólica é baseado na epigenética e consiste em trabalhar na prevenção de inúmeras doenças como é o caso da obesidade, que pode ser prevenida desde o início da gestação, com hábitos alimentares saudáveis. Esse período é muito “sensível”, pois qualquer coisa que possa atrapalhar o bom funcionamento do organismo traz consequências e alterações na estrutura das células, inclusive do DNA.

Temos inúmeras evidências científicas de como a alimentação durante a gestação pode interferir no desenvolvimento de doenças futuras como obesidade, hipertensão arterial, diabetes, doenças cardiovasculares, síndrome metabólica, tais doenças consideradas como de “adulto”.

Os primeiros mil dias influenciam no aparecimento dessas doenças, ou seja, é uma janela de oportunidades para evitar as doenças crônicas não transmissíveis (citadas anteriormente).

Janela de oportunidades

Os primeiros 1.000 dias são cruciais para o crescimento e desenvolvimento do bebê, hábitos e atitudes que irão refletir no futuro.

A epigenética, fator externo/ambiental que influencia na expressão gênica, sofre influência através da alimentação, estresse, atividade física, exposição ao fumo e álcool, entre outros hábitos, nesse período, causam grande impacto nos indicadores de saúde e doença em curto e longo prazo.

Por esse motivo, é possível determinar um futuro saudável através dos primeiros mil dias de vida de TODOS OS INDIVÍDUOS, sendo o assim, a prevenção é o caminho.

Aleitamento Materno

Exposições intrauterina e pós natal no início da vida podem explicar como situações adversas podem afetar tanto a mãe quanto o bebê ao longo da vida e gerações futuras através de alterações epigenéticas.

A deficiência e excesso de nutrientes é um desafio atual. Gestantes e crianças são o público mais suscetível para deficiências de micronutrientes, afetando como por exemplo, no metabolismo, no desenvolvimento cognitivo e também no crescimento e desenvolvimento de ossos e dentes.

Gestantes precisam de mais nutrientes para manter uma gestação saudável, aumentar a imunidade e garantir um bom crescimento fetal. Alimentos ultra processados como bolachas, salgadinhos e fast food são pobres em micronutrientes e com grande densidade energética comparado aos alimentos in natura como arroz, feijão, vegetais, oleaginosas ricos em nutrientes e fibras, DE FATO o que corpo precisa.

Não oferecer açúcar antes do dois anos, não é APENAS pela FORMAÇÃO DO PALADAR (fato muito importante), mas sobre as doenças e outros problemas devido a má alimentação nos primeiros mil dias de vida desse bebê.

O leite materno é o único alimento que o bebê precisa receber até os 6 meses de vida (sem chá, água ou qualquer outro líquido). Aos 6 meses a alimentação sólida entra para complementar a alimentação desse bebê.

Um grande número de compostos bioativos do leite humano pode induzir alterações na metilação do DNA e é possível que, sem a exposição a esses fatores, bebês alimentados com fórmulas infantis possam apresentar diferenças na regulação de processos epigenéticos (transcrição de genes e/ou na síntese proteica), contribuindo para um pior perfil de saúde em longo prazo.

Compostos bioativos presentes no leite materno podem também influenciar a composição da microbiota intestinal na infância, exercendo papel mediador na relação entre alimentação complementar e risco para ganho de peso excessivo, distúrbios do metabolismo ósseo e para doenças cardiovasculares na adolescência e vida adulta”, destaca Marly Cardoso.

Programação Metabólica e alimentos industrializados na Introdução Alimentar

É importante falar sobre isso pois muita gente fala: comeu e não morreu ou (já ouvi muuuito) segurei até 2 anos e não adiantou em nada (hoje é viciado em besteiras)….

Diante de tudo isso, arrisco dizer que o mais mais importante dos primeiros mil dias é a PROGRAMAÇÃO METABÓLICA do bebê!!!!

Sabe aquela pessoa que come 1 chocolate e engorda 1kg? e aquela que come muito mais e não engorda uma grama? Isso se dá ao metabolismo da pessoa…

A pessoa que engorda com facilidade é uma pessoa com metabolismo ruim. Muito provavelmente seus primeiros mil dias foram compostos por alimentos inadequados (açúcar, muito carboidrato, poucos vegetais…)

Muita gente acha que metabolismo é genético ou idade, mas 10% tem influência genética, 90% é de acordo com o que você se alimentou nos primeiros 2 anos de vida.

Sabe que sempre falo que os problemas irão surgir mais para frente, muitas vezes com 30-40 anos e a pessoa culpa quem? a genética, idade, e NÃO, não é só isso isso!!!!

E POR QUE não dar açúcar? pois o açúcar gera picos glicêmicos, ou seja, aquele açúcar chega rapidamente na corrente sanguínea e quanto mais picos glicêmicos na corrente sanguínea nos primeiros 2 anos de vida, pior será o METABOLISMO dessa CRIANÇA.

Primeiros mil dias ruins= Maior chance de Hipertensão, Obesidade, Diabetes, Doenças metabólicas, Hipercolesterolemia na VIDA ADULTA.

Conclusão

A criança pode não apresentar esses problemas no início de sua vida, mas na fase adulta SIM!!!! É sobre a saúde dos nossos filhos daqui 30-40 anos!!!

2 comentários em “Como os primeiros mil dias determinam seu metabolismo para o resto da sua vida

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s