Introdução Alimentar x volta ao trabalho

Se você é mãe já deve ter pensado: meu bebê está em aleitamento materno exclusivo, minha licença está acabando, introdução alimentar, o pediatra já liberou frutinhas…que angústia hein?

Se eu pudesse ter dar uma única dica é: ESPERE. Sim, a SBP, OMS e Ministério da saúde só recomendam iniciar a introdução alimentar À PARTIR DOS 6 MESES. Por que à partir dos 6 meses? porque além dos 6 meses, precisamos analisar os sinais de prontidão (não é um ou o outro, e sim OS DOIS).

São eles:

  1. Senta com o mínimo de apoio
  2. Controle da cervical
  3. Leva objetos à boca
  4. Interesse pela comida dos adultos
  5. Protusão da língua diminuída

Volta ao trabalho, não consigo amamentar, iniciar a introdução alimentar é uma opção?

Realmente, muitas mães voltam a trabalhar depois de 4 ou 5 meses de licença. Porém, na impossibilidade do aleitamento materno, é necessário o uso de FÓRMULAS INFANTIS. Nesse caso, a fórmula deve entrar (leite materno ou fórmula até 6 meses – de forma exclusiva). O bebê poderá receber o leite seja fórmula ou leite materno mesmo na ausência da mãe e quando ESTIVER PRONTO, iniciar a introdução alimentar de forma SEGURA.

Mas EU QUERO dar os primeiros alimentos

Certo, você pode esperar seu bebê ficar pronto e, no dia que for iniciar (pode ser dia de semana ou final de semana) – não tem problema passar alguns dias, 6 meses não significa que precisa comer exatamente naquele dia porque o leite passou a ser insuficiente – NÃO É ISSO.

Calma, você pode e DEVE ser a primeira a oferecer alimentos e ver a reação do seu bebê. Mas isso não deve acontecer antes dos 6 meses. Quero que saiba, o leite, seja fórmula ou leite materno, é a principal fonte de energia até 1 ANO.

Introdução Alimentar precoce: risco para o bebê

A introdução alimentar acontece apenas 1 vez na vida. É uma fase onde o bebê descobre texturas e novos sabores, uma fase cheia de novos desafios, e quando inicia-se antes da hora, há muitos prejuízos e frustração.

  1. O bebê possui um maior risco de engasgo, pois não está pronto fisiologicamente para lidar com aquele alimento.
  2. Maior risco de alergias alimentares devido á imaturidade gastrointestinal e da própria imunidade.
  3. Maior risco de seletividade alimentar. Um bebê que não está pronto, terá mais dificuldades na aceitação de novos alimentos, principalmente se tratando de novas texturas.
  4. Maior risco de diabetes e obesidade devido a imaturidade do sistema digestório e imunidade.

O bebê é uma folha em branco, a introdução alimentar é a formação dos hábitos alimentares que ele levará para toda a vida, vamos ajustar nossas expectativas, sem forçar, chantagear, tudo no tempo certo.

E eu sei, temos muitas dúvidas nessa fase, sobre o que pode e não pode dar, como e quanto dar. Fora os medos se a comida está sendo suficiente, se tiver reação alérgica, medo de engasgo. Também como armazenar, preparar e higienizar os alimentos, como oferecer de forma segura os alimentos.

Tenho certeza que você quer tornar essa fase de maneira especial e positiva para seu filho. Para isso, é necessário SEGURANÇA, e para que ele coma bem e de maneira respeitosa é necessário um ambiente tranquilo e de muita autonomia.

Tenha um bom profissional para te auxiliar. Sou nutricionista materno infantil, especialista em introdução alimentar, deixe suas dúvidas aqui: https://ris.ntr.br/contato/, ficarei muito feliz em poder ajudar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s