6 dicas para quem está iniciando a Introdução Alimentar

Índice:

  1. Obesidade.
  2. Influências na Introdução Alimentar.
  3. Iniciar antes dos 06 meses porque vai para escolinha?
  4. Não dê comida para uma criança sem autorização dos pais.
  5. O que é correto? Como fazer?
  6. Por que é importante começar na hora certa?

O Ministério da Saúde recomenda que a introdução alimentar inicie aos 06 meses, porém, muitas famílias não seguem essa recomendação e acabam iniciando antes da idade recomendada, podendo ocasionar prejuízos à saúde do bebê.

A recomendação parte do princípio que até os 06 meses de idade o bebê não precisa de nenhum outro alimento que não seja leite materno ou fórmula (nem água, chás).

Está crescendo o incentivo ao aleitamento materno, pois as recomendações estão longe das ideais. A amamentação traz inúmeros benefícios e se estende por toda a vida contribuindo no crescimento e desenvolvimento adequados e prevenção de muitas doenças, entre elas a obesidade.

A introdução alimentar sofre muitas influências, principalmente por crenças da família e questões culturais. Sou mãe e longe de mim querer julgar, apenas estou trazendo dados científicos sobre o que é melhor para a saúde dos nossos bebês. Não é sobre fazer tudo perfeito, mas dar o seu melhor e buscar melhorar sempre.

1.Obesidade

O aleitamento materno representa uma das experiências nutricionais mais precoces do recém nascido e a composição do leite materno poderia estar envolvida no processo de “imprinting” metabólico alterando o número e/ou tamanho dos adipócitos ou induzindo o fenômeno de diferenciação metabólica. Os adipócitos estão envolvidos na regulação do balanço energético e quando alterado pode possibilitar a instalação da obesidade na infância (Balaban et al, 2004).

A nutrição no início da vida afeta não apenas o desenvolvimento cerebral, crescimento e composição corporal, mas também a programação metabólica com impacto sobre as doenças crônicas do adulto relacionadas com a alimentação.

A obesidade é uma doença complexa com graves dimensões sociais e psicológicas afetando todas as faixas etárias e grupos socioeconômicos. A obesidade pode iniciar-se em qualquer idade e pode ser causada por fatores como desmame precoce, a introdução inadequada de alimentos, distúrbio do comportamento alimentar e da relação familiar, especialmente nos períodos de aceleração do crescimento.

O desmame precoce e a introdução inadequada de alimentos podem comprometer o crescimento e a qualidade de vida dos bebês e podem desencadear a obesidade que pode se iniciar em qualquer idade (Bussato, Oliveira, Carvalho, 2006).

2.Influências na Introdução Alimentar

O padrão alimentar do brasileiro vem se modificando nas últimas décadas, caracteriza-se pela substituição do consumo de alimentos in natura e minimamente processados, tais como arroz, feijão e farinha de mandioca, por alimentos altamente processados e ultraprocessados, como pães, refrigerantes, biscoitos, carnes processadas e refeições prontas.

Vários estudos apontam que crianças que iniciaram a alimentação complementar antes dos 06 meses tiveram mais incidência de doenças como obesidade e desnutrição. Mas outras doenças podem surgir, principalmente as do sistema respiratório.

Além das questões nutricionais, o modo como é apresentando os alimentos merece atenção. Os alimentos devem ser apresentados em pedaços seguros e macios ou amassados grosseiramente, de modo a progredir na textura a cada semana, para quando chegar os 10 meses, a criança já esteja comendo igual a família.

Os alimentos nunca devem ser batidos, liquidificados ou peneirados, e devemos sempre apresentar os alimentos separadamente, ao invés de misturá-los.

A introdução de alimentos sólidos muitas vezes acontece de maneira precoce, e na maioria das vezes ocorre por questões de crenças da família ou até mesmo dificuldade de compreensão nas informações adquiridas pelo profissional, caindo no esquecimento ou até mesmo os que preferem não seguir.

Ainda é possível notar que as mães se sentem mais seguras ao oferecer alimentos às crianças, uma vez que, durante o preparo das refeições, elas têm total domínio do que será dado à criança, como será oferecido, e ainda podem ter controle sobre a quantidade de alimento ingerido pela criança; o mesmo não acontece com o leite materno, pois sua produção é mediada por processos fisiológicos e hormonais que muitas vezes não são compreendidos pelas mães (Salve JM, Silva IA, 2009)

Não podemos controlar as quantidades, devemos analisar outros fatores para saber se o leite ou comida estão sendo suficientes, como por exemplo: a fralda enche de xixi e cocô, o bebê está bem disposto….não é só curva ou número (precisa ganhar x gramas por dia…. É muito individualizado, por isso, tenha um profissional de confiança e atualizado).

No Brasil, dados sobre o consumo alimentar de 26 mil crianças de 5 a 10 anos, oriundos do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (SISVAN, 2008), indicam consumo inadequado de frutas e, principalmente, de verduras e legumes. Mais de 30% das crianças não ingerem esses alimentos durante a semana avaliada. Entretanto, alimentos pouco saudáveis como: biscoitos salgados, salgadinhos de pacote, doces e biscoitos recheados  foram consumidos três dias ou mais na semana, por mais de 50% das crianças.

3. Iniciar antes dos 6 meses porque vai para escolinha?

Muitos pensam, é melhor dar comida que introduzir fórmula, mas não é verdade. Aliás, você não precisa parar de amamentar devido o retorno ao trabalho. Poderá manter o ALEITAMENTO MATERNO EXCLUSIVO!

Nesses casos, o ideal é iniciar o estoque com antecedência. Com todos os cuidados, você pode continuar garantindo que seu filho receba o melhor alimento do mundo.

De qualquer forma, não antecipe a Introdução Alimentar. Se não for possível manter o aleitamento materno o melhor substituto é a Fórmula (até os 06 meses).

Começar antes aumenta risco de engasgo, o bebê não está pronto para digerir o alimento, sem contar na ansiedade dos cuidadores em ver a criança comer. Também aumenta risco de deficiência nutricional, risco de infeções, alergias, obesidade…

Ahh mas eu quero dar o primeiro alimento ao meu filho. Sim, acho importante e muito legal também. Peça para que segurem na escolinha até os 06 meses e quando seu filho completar, poderá iniciar na refeição quer der ou no fim de semana que seu filho está pronto para tal.

4. Não dê comida a uma criança sem a autorização dos pais

Muitos pais/responsáveis cuidam da alimentação do filho até o primeiro ano de vida, evita industrializados como refrigerantes, doces e salgadinhos, porém, ao completar 1 ano liberam o consumo, e mais tarde como consequência enfrentam dificuldades alimentares…

A introdução alimentar é a fase de formação do paladar da criança, que vai até os 2 anos de idade!

Pergunte aos pais se pode dar determinado alimento, isso se chama RESPEITO!

Quando apresentamos alimentos industrializados, cheios de açúcar e/ou sódio na introdução alimentar, a criança passa a rejeitar alimentos mais naturais como verduras, legumes e frutas.

Se você acha frescura e ainda diz que seu filho é “filho raiz” que comeu sempre o que tinha e sente-se orgulhoso, saiba que até os 2 anos de idade a genética dos nossos filhos é modulada através dos alimentos. Então faço uma pergunta: seu filho consumiu composto lácteo, chips, danoninho e bolacha da vaquinha antes dos 2 anos?

Caso sua resposta seja sim, infelizmente seu filho possui uma predisposição muito maior para Diabetes, Obesidade, Hipertensão Arterial Sistêmica, Hipercolesterolemia etc…

Atitudes possíveis de notar quando nossos filhos tiverem 40, 50 anos, então que tipo de herança você quer deixar para seus filhos?

5. O que é correto? Como fazer?

  • Mesmo que a mãe volte a trabalhar, não inicie a introdução alimentar antes dos 6 meses!
  • Após o 6 mês + os sinais de prontidão, ou seja, possuir sustentação do pescoço e tronco, sem cair para o lados, com a maturidade gastrointestinal estabelecida, o bebê estará pronto para iniciar a introdução alimentar.
  • Pode iniciar com verduras ou fruta, não existe regra, o importante é oferecer alimentos naturais e saudáveis.
  • O bebê já pode participar de todas às refeições em família, pois a fase de introdução alimentar é apresentar o alimento, se for de forma respeitosa, seja BLW ou amassado, o bebê não irá comer muito, consequentemente não fará diferença e nem sentindo deixar o bebê participar apenas do almoço e do jantar não.
  • Não precisa repetir a fruta no mesmo dia e nem no dia seguinte, pode variar!
  • Leite materno continua sendo em livre demanda.
  • Ofereça água, agora que o bebê vai iniciar alimentos sólidos, precisa garantir a hidratação e prevenir a constipação.
  • Se o seu bebê é prematuro, deve ser feito a idade corrigida, ex: seu filho nasceu com 34 semanas, então faça a conta de quantas semanas faltou para chegar a termo, são 3 semanas, certo?
  • Além disso, devemos esperar que a criança tenha todos os sinais de prontidão, controle da cervical, senta sem tombar para os lados, coloca brinquedos na boca, interesse pela comida, não empurra para fora da boca a comida com a língua.

6. Por que é importante começar na hora certa?

  • O bebê se beneficiará mais com o leite que os alimentos (não importa se é leite materno, fórmula ou amamentação mista)
  • Começar antes aumenta risco de engasgo, o bebê não está pronto para digerir o alimento, sem contar na ansiedade dos cuidadores em ver a criança comer;
  • Aumenta risco de deficiência nutricional, aumentando risco de infeções, alergias…obesidade…
  • Você pode oferecer amassado, em pedaços macios em cortes seguros ou os dois ❤️

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s